Sem raias Rotating Header Image


O início nas águas abertas

Eu já praticava natação há uns 3 anos e achava que tinha boa resistência. Na academia onde eu praticava, de 4 a 5 vezes por semana, 45 minutos por dia, havia testes de vez em quando para ver quantos metros os alunos conseguiam nadar em 30 minutos. Fiz esse teste em julho de 2007 e completei 1830m, uma média de 1’38″para cada 100m. Na época eu era o melhor da minha academia. Resolvi então participar de provas de maratonas aquáticas por indicação de um amigo. Fiz as provas de 800m na represa de Bragança Paulista:



View Larger Map

e na Represa do Broa em Itirapina:


View Larger Map

Fiquei bastante decepcionado ao ver que eu não conseguia fazer a prova inteira nadando crawl. Na de Bragança Paulista, nadei peito em vários trechos da prova, e na de Itirapina fiz boa parte da prova nadando costas… 😛

Me toquei que nadar em águas abertas é bem diferente de nadar em piscinas e resolvi estudar mais o tema. Fui na Amazon e encontrei alguns livros, dentre eles o “Triathlon Swimming Made Easy: The Total Immersion Way for Anyone to Master Open-Water Swimming“, livro de Terry Laughlin, que ensina como nadar com o menor esforço possível. O livro tem dicas muito úteis sobre técnica de natação. Para quem quiser conhecer um pouco mais, recomendo o site Total Immersion e o texto Easy Freestyle. Para dar uma idéia de como é a natação baseada no método Total Immersion, vale dar uma olhada nesse vídeo de um treinador japonês que utiliza Total Immersion, onde ele compara seu nado livre com o dos campeões olímpicos Cullen Jones e Michael Phelps:


e também nesse vídeo:

Após praticar um pouco desses conceitos, tive a oportunidade de participar de outra travessia, de 1500m, na praia do Guaiuba no Guarujá:


View Larger Map

Isso foi uns 4 meses depois da prova em Itirapina. Consegui fazer a prova inteira nadando crawl. Não me senti cansado em nenhum momento. Nadei a prova inteira num bom ritmo, tanto que passei vários nadadores ao longo da prova. Ao terminar a prova, senti como se eu pudesse nadar outra prova inteira. Durante a prova eu ficava constantemente relanbrando os pontos focais do método Total Immersion. Foi uma experiência muito boa. Tenho procurado praticar focado nas dicas e sugestões dessa metodologia, mas gostaria que existissem treinadores e professores que se capacitassem a seguir essa metodologia.

Esse foi meu começo nas provas de águas abertas. Isso foi em 2007. Esse ano continuo praticando e completo todas as provas nadando crawl do começo ao fim, mas nunca vou esquecer da primeira prova que fiz completa.

(Vale comentar que nessa época eu havia mudado para uma academia com foco maior em natação, mas isso será tema de outro post mesmo porque, por ter sido tão pouco tempo com novo treino, não seria suficiente para melhorar meu condicionamento físico.)

One Comment

  1. […] comentei aqui, mudei de academia quando senti que estava meio estaganado na academia de natação em que eu […]

Leave a Reply

magbo system